22.9 C
São Paulo
domingo - 16 junho 2024 - 22:22

Presidente da China questiona liderança global dos EUA

O presidente da China, Xi Jinping, usou um discurso no principal evento de negócios do país para lançar um ataque velado à liderança global dos Estados Unidos e fazer um alerta contra a desconexão econômica entre Pequim e Washington.

“Os assuntos internacionais devem ser tratados por todos por meio de consultas”, defendeu Xi no Fórum Boao para a Ásia, a “versão chinesa” do Fórum Econômico Mundial de Davos. “As regras feitas por um ou mais países não devem ser impostas a outros.”

Ao defender uma nova ordem mundial, Xi não citou diretamente os EUA em seu discurso de quase 20 minutos, mas falou sobre os esforços da Casa Branca para alterar a cadeia de suprimentos global e para impedir que produtos de alta tecnologia, como semicondutores, sejam vendidos a empresas chinesas.

As declarações de Xi foram feitas pouco depois de uma visita do primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, ao presidente dos EUA, Joe Biden. No encontro, eles se comprometeram a trabalhar juntos para se opor à coerção de Pequim nos mares do sul e leste da China.

A China também tem sido fortemente criticada pelos Estados Unidos, pela União Europeia (UE) e outros países ocidentais por causa da repressão a Hong Kong e pelo tratamento dado à minoria muçulmana uigur na província de Xinjiang.

Xi afirmou que a tática de “interferir nos assuntos internos” de outros países, uma crítica frequente feita pela diplomacia chinesa aos países ocidentais, não será “bem recebida” por Pequim.
O discurso de Xi reflete o desejo do Partido Comunista Chinês de ter uma maior influência global e a frustração do país com os esforços dos EUA para bloquear suas ambições.

Esse sentimento foi alimentado nos últimos anos pelas sanções econômicas impostas por Donald Trump e pelas medidas para impedir que empresas chinesas, como a Huawei, tenham acesso a tecnologias de ponta.
Xi também afirmou que, não importa o quanto a China se desenvolva, o país nunca buscará a hegemonia ou se envolver em uma corrida armamentista.

Apesar das declarações, os chineses só perdem para os EUA em gastos com defesa e estão aumentando a atividade militar em áreas cuja soberania é disputada com o Japão, com as Filipinas, com a Índia e com outros países. No discurso, o presidente chinês também pediu mais colaboração global no desenvolvimento, fabricação e distribuição de vacinas contra a covid-19. Segundo Xi, é preciso melhorar o acesso às doses dos imunizantes nos países em desenvolvimento.

Sobre a desconexão econômica entre EUA e China, Xi afirmou que “construir muros” não é o caminho. “Viola as regras econômicas e de mercado, prejudicando outras pessoas”, destacou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhar Artigo

BRL - Moeda brasileira
USD
5,2892
CNY
0,7302
spot_img

Popular

Artigos Relacionados
RELACIONADOS

Mauro Vieira fala sobre BRICS em crescimento apesar de ‘um mundo em desordem’

Mauro Vieira participou nesta segunda-feira (10) de um encontro...

Damascos Dourados Aquecem os Pomares de Verão

Recentemente, no pomar de damascos da Cooperativa Profissional de...

Cultivo Especializado Impulsiona Nova Vitalidade na Revitalização Rural

Nos últimos dias, na base de cultivo de mais...

Colheita de 66 mil hectares de trigo na região de Dingtao

O vento sopra sobre os campos de trigo, espalhando...
Aceitar Notificação OK Não, Obrigado