20.7 C
São Paulo
sábado - 02 março 2024 - 08:15

Brasil pode voltar a ter ‘vida normal’ em outubro, projeta UBS

Se mantido o ritmo esperado de vacinação contra o coronavírus, o Brasil pode atingir algum tipo de normalidade já em outubro e ampliar a reabertura econômica. A projeção é de analistas do banco suíço UBS, em relatório divulgado a clientes nesta semana.

A estimativa foi feita com base em dados de hospitalizações, vacinação esperada para os próximos meses e pirâmide etária brasileira. A expectativa, segundo o relatório, é que o Brasil consiga reduzir drasticamente as infecções e casos graves de covid-19 uma vez que a população de 30 anos ou mais esteja imunizada — o que os analistas preveem que pode acontecer até outubro com base nas doses anunciadas pelo governo.

Essa fatia de imunizados seria menor do que os 70% ou mais que especialistas avaliam como ideal para atingir algum tipo de “imunidade de rebanho”. Para que o Brasil chegasse a 70% da população imunizada, teria de vacinar também o grupo de adultos a partir de 20 anos.

No entanto, o relatório do UBS calcula que pode ser possível chegar ao que classifica como “imunidade de rebanho efetiva” quando o Brasil tiver vacinado uma fatia muito menor de pessoas, somente o grupo dos 30 anos ou mais, ou 56% da população.

Embora represente pouco mais da metade da população, o grupo a partir de 30 anos é responsável por mais de 95% das mortes, hospitalizações e internações em UTI. É sabido também que a covid-19 tem se mostrando menos letal em adolescentes e crianças.

“Assim, nomeamos a conquista da imunidade neste grupo [de 30 anos] e na população com mais de 60 anos como ‘imunidade efetiva’, permitindo que a atividade econômica se normalize”, escrevem os economistas Alexandre de Azara e Fabio Ramos, que assinam o relatório.

Até o momento, o Brasil vacinou com ao menos uma dose 17% da população, e pouco mais de 8,5% também com a segunda dose. Estão neste grupo sobretudo idosos acima de 70 anos e profissionais de saúde. Foram 54 milhões de doses aplicadas, segundo apuração do consórcio dos veículos de imprensa junto aos estados até a segunda-feira, 10.

O que é preciso para chegar lá?

Foram aplicadas no Brasil cerca de 16 milhões de doses por mês em março e abril. Mas, para estimar que haverá uma vacinação de todos os adultos de 30 anos até outubro, o UBS projeta um aumento significativo nesse número.

A aposta reside sobretudo nas entregas da vacina da AstraZeneca, hoje produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz, além de parcela enviada pelo consórcio internacional Covax. Até agora, a Coronavac responde por quase oito em cada dez doses distribuídas no Brasil até o fim de abril.

Pelos cálculos do UBS, a vacina da AstraZeneca deve ultrapassar a Coronavac e se tornar a mais aplicada no Brasil já neste mês de maio. As projeções contam também com a chegada de doses compradas pelo governo federal de Pfizer e Johnson & Johnson — esta última, só a partir de outubro.

Não estão incluídas no cálculo futuras doses da vacina russa Sputnik V ou da indiana Covaxin, que ainda precisam ser aprovadas pela Anvisa.

Na outra ponta, para cumprir a projeção para os próximos meses, o Brasil terá de lidar com as dificuldades na compra de ingrediente farmacêutico ativo (o chamado IFA), hoje vindo da China. A demora na entrega do IFA tem atrasado a produção de vacinas no Brasil.

Já a fabricação de IFA nacionalmente deve ficar para o fim do ano: a Fiocruz chegou a prometer as primeiras doses para agosto, mas adiou a data para setembro e hoje especialistas já projetam o mês de outubro para o início das entregas. O Butantan também está construindo uma fábrica para fazer o insumo, que só deve começar a operar no ano que vem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhar Artigo

BRL - Moeda brasileira
USD
4,9525
CNY
0,6882
spot_img

Popular

Artigos Relacionados
RELACIONADOS

Israel mata mais de 100 civis famintos em Gaza em busca de ajuda humanitária

Em uma nova escalada do genocídio, forças de Israel...

BRICS está formando estratégia para enfrentar riscos macroeconômicos no Ocidente, diz Rússia

Os países do BRICS estão elaborando uma estratégia de ação...

Brasil, EUA, União Europeia, ONU: Mundo condena Israel, que segue bombardeando Gaza

O massacre de mais de cem palestinos, mortos por soldados...

Silvio Almeida condena “punição coletiva” de Israel em Gaza no Conselho de Direitos Humanos da ONU

Em discurso nesta segunda-feira (26) na 55ª sessão do...
Aceitar Notificação OK Não, Obrigado